Dez passos para fechar sua igreja

(Adaptado de “Como matar a sua entidade”)
1 – Não freqüente os cultos, orações, vigílias, campanhas, consagrações, ensaios, reuniões, muito menos a Escola Dominical, mas quando comparecer procure algo para reclamar.

2 – Sempre que comparecer a alguma atividade de sua congregação, encontre falhas no seu líder, seja ele/a regente, dirigente, professor/a de EBD, Auxiliar, Diácono, Diaconisa, Presbítero, Coordenador, Evangelista ou até Pastor.

3 – Nunca aceite uma incumbência dada pelo seu líder. Lembre-se que é mais fácil criticar do que realizar.

4 – Se o Ministério pedir a sua opinião sobre um importante assunto, responda que não tem nada a dizer e depois espalhe como deveriam ser as coisas.

5 – Não faça nada além do absolutamente necessário, porém, quando os obreiros estiverem trabalhando com toda boa vontade e interesse, para que tudo ocorra bem, afirme que sua Congregação está sendo manobrada por um “grupinho”.

6 – Não leia os periódicos da Igreja e converse bastante na hora dos avisos. Afirme que nunca tratam de algo interessante, que são puro gasto de dinheiro e perda de tempo.

7 – Se for convocado para qualquer cargo, recuse alegando falta de tempo ou capacidade e depois critique com afirmações do tipo: “Esta turma quer é ficar para sempre nos cargos”

8 – Sugira, insista e exija realizações de cursos, palestras, seminários. Quando a Igreja realizá-los não se inscreva nem compareça.

9 – Se receber um questionário solicitando sugestões não preencha e, se o Ministério não tiver as mesmas idéias e pontos de vista que você, critique e espalhe a todos que é ignorado;

10 – Em hipótese alguma contribua com dízimos ou ofertas, afinal de contas Deus é o “dono da prata e do ouro” e não precisa do vil metal. Contudo, quando faltar recursos para enviar missionários, para ajudar os necessitados, para reformar ou construir templos, diga a todos que a liderança da Igreja não sabe administrar.

Após esta colaboração espontânea, quando cessarem os cultos, as reuniões e todas as demais atividades, quando ninguém mais sentir prazer em estar na Igreja, enfim, quando sua congregação fechar, estufe o peito e afirme: “Eu não disse?!”.

* * *

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A morte vicária de Jesus

Escola Dominical: metodologia e desenvolvimento

O jovem cristão e a vocação missionária