O jovem cristão e a vocação missionária

Para guardar no coração...
“Suporte o sofrimento, faça o trabalho de um pregador do evangelho
e cumpra bem o seu dever de servo de Deus.”
(1Tm 4.5)

Resumo da ópera...
Anunciar o evangelho é o maior privilégio
de um jovem cristão.



PRA COMEÇO DE CONVERSA...
A Igreja, como organismo vivo, possui pelo menos cinco tarefas essenciais aqui na Terra: a adoração, a comunhão, a pregação, o ensino e o serviço.
O profeta Isaías ouviu do próprio Deus uma pergunta que ecoa até aos dias hodiernos: “— Quem é que eu vou enviar? Quem será o nosso mensageiro? (Is 6.8).
A urgência de mensageiros é uma realidade. É necessário atentarmos para o clamor daqueles que estão famintos do pão da vida, sabendo que eu e você temos a incumbência de alimentá-los (cf. Mt 14.16; Jo 4.35).
Não é novidade que o desempenho de cada atividade humana exige requisitos específicos e atitudes peculiares. É assim para ser um atleta, músico, advogado, professor, engenheiro, etc. E para ser um mensageiro autêntico da Palavra de Deus, o que é necessário fazer?

1. SUPORTE O SOFRIMENTO
Parece uma contradição. Se evangelho é sinônimo de boas notícias, o que isto tem a ver com sofrimento?
A pregação ou μαρτυρία [gr.: ‘martiria’] diz respeito ao testemunho, ao anúncio das boas novas de salvação, cujo encargo não é opcional e muito menos protelável, mas imperiosamente urgente (cf. Mc 16.15; 1Co 9.16). A expressão “martírio” é derivada do mesmo radical grego e, segundo o dicionário Houaiss, significa tormentos e/ou morte infligidos a alguém em consequência de sua adesão a uma causa, a uma fé religiosa, especialmente à cristã”.
Viver e pregar a verdade nunca foi fácil. Estamos dispostos a ouvir apenas aquilo que nos agrada e como Deus sempre fala o que precisamos mudar em nossa natureza pecaminosa e isto pode incomodar ao ponto de aborrecer e até causar coceira nos ouvidos (cf. 2Tm 3.12; 4.3,4).
Ao chamar Saulo para pregar o evangelho aos gentios, a primeira coisa que o Senhor falou a Ananias foi “— Vá, pois eu escolhi esse homem para trabalhar para mim, a fim de que ele anuncie o meu nome aos não-judeus, aos reis e ao povo de Israel. Eu mesmo vou mostrar a Saulo tudo o que ele terá de sofrer por minha causa.” (At 9.15,16). E isto se cumpriu literalmente na vida de Paulo (cf. 2Co 11.24-27). Ele relata, por exemplo, que foi maltratado e insultado na cidade de Filipos por causa do anúncio do Evangelho (cf. 1Ts 2.2). 
Por estas e outras referências podemos entender a razão de Paulo exortar o jovem Timóteo a suportar o sofrimento (cf. 1Tm 4.5).
Se alguém quer ser pregador, evangelista ou missionário, não deve esperar holofotes, gordos cachês ou estrelato na mídia. Este terá como recompensa o sofrimento, a perseguição, o escárnio. Mas lembre-se de que esta é a mais sublime tarefa, almejada pelos anjos, mas concedida aos seres humanos, falhos e imperfeitos como eu e você e que o galardão aguarda aos que cumprirem fielmente sua vocação (cf. Rm 10.15; 1Pe 1.12; 2Tm 4.7,8).

2. BUSQUE O PODER PARA TESTEMUNHAR
Missões e Pentecostes sempre andaram de mãos dadas ao longo da História da Igreja.
Antes encerrar seu ministério terreno, Jesus falou aos discípulos: — Porém, quando o Espírito Santo descer sobre vocês, vocês receberão poder e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e Samaria e até nos lugares mais distantes da terra.” (At 1.8).
Somente o revestimento do poder do Espírito Santo é capaz de nos dar coragem para testemunharmos de Jesus e autenticar nossa pregação (cf. Mc 16.20). É Ele quem nos provê os equipamentos necessários para a batalha espiritual que está subjacente à obra de evangelização (cf. Ef 6.11-18)
Só poderemos testemunhar com eficácia se estivermos cheios do Espírito Santo. Foi assim com o apóstolo Pedro. Antes do Pentecoste era medroso, covarde e de caráter duvidoso, mas depois do revestimento de poder se tornou ousado, poderoso no Espírito e um grande evangelista.
Nossa pregação só surtirá efeito se tiver poder. Paulo pregava a Cristo, poder e sabedoria de Deus (cf. 1Co 1.24) e afirmava: “O meu ensinamento e a minha mensagem não foram dados com a linguagem da sabedoria humana, mas com provas firmes do poder do Espírito de Deus.” (1Co 2.4). 
Se você ainda não é batizado no Espírito Santo, busque esta promessa pois ela também lhe diz respeito (cf. Jl 2.28,29; At 2.39). Se você já fala em línguas estranhas, busque os dons espirituais e seja uma brasa viva usada nas mãos do Senhor.

3. PREPARE-SE INTELECTUALMENTE
Quem já experimentou cortar algo com uma faca cega sabe que o esforço necessário é muito maior do que se ela estivesse afiada. É claro que Deus pode usar a qualquer pessoa, independentemente de sua formação escolar ou teológica, mas também é verdade que os que estiverem melhor preparados produzirão mais frutos e seus ministérios terão maior abrangência.
Ler a Bíblia e conhecê-la é fundamental para o pregador (cf. 1Tm 4.13). Ser um aluno assíduo da Escola Dominical e não perder os cultos de ensino ajudam a ter uma visão panorâmica do Livro Sagrado e familiarizar-se com as doutrinas bíblicas.
Dentro das possibilidades, faça um curso teológico em uma instituição reconhecida por nossa Igreja. Homilética (arte de preparar e pregar sermões), Hermenêutica (arte de interpretar os textos bíblicos e Teologia Sistemática são disciplinas chave para o crescimento intelectual do pregador.

4. FAÇA O MELHOR QUE PUDER
Uma ilustração de autor desconhecido nos ensina o valor de um trabalho feito com excelência. Conta-se que um velho carpinteiro estava para se aposentar. Como de praxe, comunicou a seu chefe os seus planos de largar o serviço de carpintaria, mas dono da empresa sentiu em saber que perderia um de seus melhores empregados e pediu a ele que construísse uma ultima casa como um favor especial. O carpinteiro consentiu, mas não se empenhou no serviço e se utilizou de mão de obra e matérias primas de qualidade inferior. Foi uma maneira lamentável de encerrar sua carreira. Quando o carpinteiro terminou seu trabalho, o construtor veio inspecionar a casa e entregou a chave da porta ao carpinteiro. Esta é a sua casa, ele disse,“meu presente para você. Que choque! Que vergonha! Se ele soubesse que estava construindo sua própria casa, teria feito completamente diferente, não teria sido tão relaxado. Agora ele teria de morar numa casa feita de qualquer maneira. Assim acontece conosco. Nós construímos nossas vidas de maneira distraída, reagindo mais que agindo, desejando colocar menos do que o melhor. Nos assuntos importantes nós não empenhamos nosso melhor esforço. Então, em choque, nós olhamos para a situação que criamos e vemos que estamos morando na casa que construímos. Se soubéssemos disso, teríamos feito diferente. Pense em você como o carpinteiro. Pense sobre sua casa. Cada dia você martela um prego novo, coloca uma armação ou levanta uma parede. Faça o melhor que puder, construa sabiamente.
O Sábio já nos ensinava há cerca de 1000 a.C.: Tudo o que você tiver de fazer faça o melhor que puder, pois no mundo dos mortos não se faz nada, e ali não existe pensamento, nem conhecimento, nem sabedoria. (Pv 9.10). Aproveite a juventude da maneira que Deus se agrade. Gaste seu tempo, suas forças, seus dons, talentos e habilidades na obra do Senhor (cf. 2Co 12.15). Leve o sabor e brilhe em meio a este mundo tenebroso. Lembre-se do que Jesus falou aos discípulos: — Vocês são o sal para a humanidade; mas, se o sal perde o gosto, deixa de ser sal e não serve para mais nada. É jogado fora e pisado pelas pessoas que passam. Vocês são a luz para o mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte.(Mt 5.13,14). 

5. COMECE AGORA MESMO
Não espere ter uma visão apocalíptica, ser visitado por um anjo ou receber uma espada de fogo” para começar a testemunhar. Deus já lhe enviou (cf. Mt 10.16). Você já tem o dom, basta despertá-lo pois ele está dentro de você (cf. 2Tm 1.6).
Em treinamentos de liderança e motivação para grupos de trabalho, costuma-se utilizar o jargão: “Tudo que hoje é grande, um dia já foi pequeno”. É a mais pura verdade. Se você quer fazer grandes proezas, comece com pequenas atitudes.
Você pode começar agora mesmo enviando uma mensagem evangelística pelo seu Whatsapp, postando um versículo em seu Facebook ou Instagram. Comece participando dos cultos de treinamento em sua congregação. Compartilhe da sua salvação com um vizinho, amigo de escola ou de faculdade. Ore a Deus pelos missionários e pelos povos não alcançados. Contribua com missões. Coloque o seu propósito em oração diante de Deus e o Senhor, no devido tempo, te levantará com poder sobre a Terra.

FIM DE PAPO...
É certo o que Deus vê cada jovem cristão como um missionário e a cada pecador como um campo missionário. Ele quer ver sua juventude dando frutos. Ainda hoje Jesus nos diz:  Não foram vocês que me escolheram; pelo contrário, fui eu que os escolhi para que vão e deem fruto e que esse fruto não se perca. Isso a fim de que o Pai lhes dê tudo o que pedirem em meu nome.(Jo 15.16)
Você está lembrado da pergunta feita pelo Senhor no capítulo 6 de Isaías? O profeta atendeu prontamente ao chamado do Senhor dizendo: “—AQUI ESTOU EU. ENVIA-ME A MIM!”. Estejamos também prontos a cumprir o chamado, pois muitos ainda precisam ouvir as boas novas de salvação antes do arrebatamento da Igreja.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A morte vicária de Jesus

Escola Dominical: metodologia e desenvolvimento