O batismo nas águas

“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações,
batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado;
e eis que eu estou convosco todos os dias,
até a consumação dos séculos. Amém”
(Mateus 28:19,20)

Introdução

Qualquer agremiação, grupo ou fraternidade possui um rito de admissão. Jesus instituiu o Batismo nas Águas como uma ordenança pela qual todo cristão deve passar.
Este ordenança não tem apenas um valor simbólico, mas um valor transcendental pelo qual nos identificamos com Cristo e com a Igreja, seu corpo místico.
“De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida” (Romanos 6:4)

O que é o Batismo nas águas?

a) Imersão. O verbo grego ‘baptizo’ dá a idéia de mergulhar, cobrir totalmente com água. O batizando deve ser totalmente mergulhado em água, seja esta corrente ou não. Por conveniência o batismo poderá ser realizado em um batistério (tanque batismal), piscina ou até mesmo em uma banheira, como ocorre em casas prisionais.
“E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele” (Mateus 3:16)

b) Uma ordenança. Jesus ordenou que todos aqueles que cressem no Evangelho fossem batizados. Esta ordem torna todos os crentes um só corpo, batizados em um só batismo e este por imersão.
“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações,batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mateus 28:19)

Qual o significado do Batismo nas águas?

a) O batismo nos identifica com Cristo. O batismo é uma experiência simbólica e espiritual na qual morremos, somos sepultados e ressuscitamos com Cristo para uma nova vida (2 Coríntios 5:17)

b) O batismo nos identifica com a Igreja. O batismo traz para o cristão o sentido de unidade com os demais membros do Corpo (Efésios 4:4,5)

Quem pode ser batizado?

a) Quem se arrepender.
“E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados” (Atos 2:38)

b) Quem crer.
“Quem crer e for batizado será salvo” (Marcos 16:16)

c) Quem confessar.
“E, indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou” (Atos 8:36-38)

Estes requisitos refutam por si só o pedobatismo ou batismo infantil. A Assembléia de Deus costuma batizar adolescentes a partir dos doze anos, por acreditar que a partir desta idade o indivíduo já é capaz de decidir sobre sua salvação, estando plenamente cônscio de suas responsabilidades.

O batismo salva?

A resposta categórica é: não! O que salva é a fé em Cristo Jesus (Efésios 2:8,9). Lembremo-nos do que disse Jesus, segundo o que escreveu o evangelista Marcos:
“Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado” (Marcos 16:16)

A condenação virá para quem não crer e não para quem não for batizado. Se recordarmos também o ladrão que estava crucificado do lado direito de Jesus, entenderemos que ele não teve tempo de ser batizado, no entanto foi salvo.
“E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso” (Lucas 23:43)

Aprendemos, portanto, que se alguém está em condições de assumir o compromisso do batismo e não o faz, peca por não obedecer à ordenança de Cristo. Contudo o fato de alguém ter aceitado a Jesus em um hospital, por exemplo, e logo após ter falecido sem ter sido batizado, não lhe tira o direito de salvação. Este princípio desbanca facilmente a heresia do batismo pelos mortos.

Quem deve ministrar o Batismo?

Apesar da Bíblia não explicitar a necessidade do batismo ser oficiado por um Ministro do Evangelho, tem sido uma prática do Movimento Pentecostal, principalmente da Assembléia de Deus, restringir o direito de batizar aos pastores, evangelistas ou aos presbíteros devidamente credenciados.

Qual a fórmula do Batismo nas águas?

O batismo deve ser realizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, reconhecendo a doutrina da Trindade e obedecendo ao que Jesus ensinou (Mateus 28:19)

Quais os direitos do batizando?

a) Tornar-se membro do Corpo de Cristo e participar da Santa Ceia.

b) Tornar-se membro da Igreja local (Assembléia de Deus), com direito a vez e voz, além de ter acesso às Assembléias Gerais.

c) Votar, ser votado ou ser indicado para os cargos existentes na Igreja, desde que seja maior de dezesseis anos.

d) Ter assistência sócio-espiritual por parte de seus pastores.

Quais os deveres do batizando?

a) Portar-se de conformidade com as Doutrinas e Costumes ensinados pela Assembléia de Deus, tendo bom testemunho dos que estão de fora (1 Timóteo 3:7);

b) Freqüentar regularmente aos cultos, reuniões de Escola Dominical ou quaisquer outras programações da Igreja, cooperando de todas as formas para o crescimento do Reino (Hebreus 10:25; 1 Coríntios 15:58);

c) Obedecer às orientações de seus pastores e líderes, desde que estas estejam de acordo com a Bíblia Sagrada (Hebreus 13:17);

b) Ser fiel dizimista e ofertante da obra de Deus (Malaquias 3:8-10).

Conclusão

O Batismo nas águas não é apenas um rito ou uma cerimônia sem sentido, mas uma experiência definida de vida de um crente neo-testamentário. Segundo o Pr. Geziel Gomes “a circuncisão era uma penosa maneira de alguém entrar na servidão do jugo da Lei. O batismo é a fácil maneira de entrar na liberdade da Graça. Pela circuncisão os judeus se obrigavam a obedecer a Lei de Moisés. Pelo batismo os crentes decidem se sujeitar a uma vida de obediência a Cristo”.

Bibliografia

BIBLIA SAGRADA. Português. Bíblia Hábil versão 2.0. Versão Revista e Atualizada de João Ferreira de Almeida (ARA). Koinonia Software, 2007.


BOYER, Orlando. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª edição. Dierfield (EUA): Editora Vida, 1991.

GOMES, Geziel. A Doutrina do Batismo em Águas. In: Lições Bíblicas, Doutrinas Fundamentais da Fé Cristã. Rio de Janeiro: CPAD, 2º Trimestre de 1990, pp. 31-34.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A morte vicária de Jesus

Em ano eleitoral... [crônica]

Escola Dominical: metodologia e desenvolvimento