quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Dossiê Didático da Matemática (5ª série) - orientações


Dossiê: Subst. masc. Conjunto de documentos sobre pessoa, instituição, etc.

O que é um Dossiê Didático da Matemática?
É um instrumento de identificação da qualidade do ensino-aprendizagem mediante a avaliação do desempenho do aluno e do professor, que compreende a compilação de documentos diversos a respeito de determinado tema ou personagem da história.

Qual o objetivo de um Dossiê?
Ajudar os estudantes e educadores a desenvolver a habilidade articular teoria e prática através da documentação e registro de forma sistemática e reflexiva de determinado tema ou personagem da história universal. Através do dossiê, aluno e professor podem relacionar os temas estudados em sala de aula com a ciência, a história e a realidade imediata de cada um deles.

Qual a estrutura do Dossiê?
• Capa ilustrada em formato “retrato” ou “paisagem” contendo a identificação do trabalho (Escola, professor, aluno, turma, título, local e data)
• Índice ou Sumário (listagem do conteúdo e as respectivas páginas)
• Apresentação ou Justificativa do seu dossiê (texto redigido pelo aluno contendo os objetivos e suas considerações gerais sobre o trabalho)
• Sugestão de conteúdo do dossiê (páginas numeradas e identificadas em formato “retrato” ou “paisagem”):
1 – Biografia (histórico do personagem escolhido. P. ex.: Pitágoras, Arquimedes, Malba Tahan, etc.)
2 – Bibliografia (produção literária)
3 – Curiosidades (frases, fatos interessantes, etc)
4 – Imagens (desenhos, fotografias)
5 – Contribuições para a Matemática ou para a Educação
6 – Glossário (mini-dicionário de termos interessantes do trabalho).

Observações:
• Capa em material mais resistente: papel cartão, cartolina, “color set” ou capa plástica
• 5 a 10 Folhas em formato A4 ou Ofício II (folhas brancas ou coloridas) encadernadas com cola, grampos, colchetes de latão (bailarinas) ou com espiral. 
• Pontuação: 4,0 (quatro) pontos 
• Entrega: Última semana de setembro/2013

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Amigos pra valer

"E vieram ter com ele conduzindo um paralítico, trazido por quatro. (...)
E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados.(...) 
A ti de digo:Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa."
(Marcos 2:3,5,11)

Alguém já disse que felizardos são aqueles que podem conferir a quantidade de amigos preenchendo os dedos das mãos.
Amigos de verdade, no dias de hoje, é coisa rara.
Não estou falando de colegas ou companheiros de trabalho, de escola ou caminhada. Amigos são aqueles que estão do nosso lado justamente quando a enfermidade nos assola, quando os recursos financeiros se esgotam, quando as coisas parecem que não tem mais jeito.
O evangelista Marcos faz questão de registrar que a cura do paralítico de Cafarnaum foi realizada por Jesus, mas intermediada por quatro ilustres desconhecidos, aos quais eu chamaria de amigos pra valer.
À época, os portadores de necessidades especiais não tinham os benefícios garantidos pelo Estado, tais como aposentadoria ou auxílios por invalidez.
Os paralíticos estavam fadados à mendicância e sequer podiam participar das atividades religiosas do Templo. Estavam totalmente marginalizados da sociedade de então. Recebiam o estigma de amaldiçoados, de imprestáveis.
No entanto, percebemos que quatro amigos decidiram que a sorte daquele mendigo poderia mudar.
Ouviram de Jesus, o rabi que operava milagres. Levaram o paralítico até sua presença e, depois de muita perseverança, pois a casa onde o Mestre ensinava estava lotada, decidiram fazer um buraco no eirado e descê-lo em frente a Cristo.
Esperavam que Jesus o curasse apenas fisicamente, porém Jesus, que veio para salvar os que se haviam perdido, decidiu que mais importante do que a cura do corpo, era a cura da alma e do espírito. Por fim, o ex-paralítico sai curado integralmente.
Quiçá possamos pelo menos ter em nossa caminhada quatro destes que podemos considerar como amigos pra valer. Certamente nossa jornada será mais amena e milagres certamente fluirão em nós.