Amigos pra valer

"E vieram ter com ele conduzindo um paralítico, trazido por quatro. (...)
E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados.(...) 
A ti de digo:Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa."
(Marcos 2:3,5,11)

Alguém já disse que felizardos são aqueles que podem conferir a quantidade de amigos preenchendo os dedos das mãos.
Amigos de verdade, no dias de hoje, é coisa rara.
Não estou falando de colegas ou companheiros de trabalho, de escola ou caminhada. Amigos são aqueles que estão do nosso lado justamente quando a enfermidade nos assola, quando os recursos financeiros se esgotam, quando as coisas parecem que não tem mais jeito.
O evangelista Marcos faz questão de registrar que a cura do paralítico de Cafarnaum foi realizada por Jesus, mas intermediada por quatro ilustres desconhecidos, aos quais eu chamaria de amigos pra valer.
À época, os portadores de necessidades especiais não tinham os benefícios garantidos pelo Estado, tais como aposentadoria ou auxílios por invalidez.
Os paralíticos estavam fadados à mendicância e sequer podiam participar das atividades religiosas do Templo. Estavam totalmente marginalizados da sociedade de então. Recebiam o estigma de amaldiçoados, de imprestáveis.
No entanto, percebemos que quatro amigos decidiram que a sorte daquele mendigo poderia mudar.
Ouviram de Jesus, o rabi que operava milagres. Levaram o paralítico até sua presença e, depois de muita perseverança, pois a casa onde o Mestre ensinava estava lotada, decidiram fazer um buraco no eirado e descê-lo em frente a Cristo.
Esperavam que Jesus o curasse apenas fisicamente, porém Jesus, que veio para salvar os que se haviam perdido, decidiu que mais importante do que a cura do corpo, era a cura da alma e do espírito. Por fim, o ex-paralítico sai curado integralmente.
Quiçá possamos pelo menos ter em nossa caminhada quatro destes que podemos considerar como amigos pra valer. Certamente nossa jornada será mais amena e milagres certamente fluirão em nós.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A morte vicária de Jesus

Em ano eleitoral... [crônica]

Escola Dominical: metodologia e desenvolvimento